Último Encontro de 2021 reúne 29 representantes de Capitais para debater Desenvolvimento Circular

Encontro Nacional

A crise sanitária, que também se demonstrou uma crise social e ambiental, convidou o mundo a buscar uma recuperação verde, resiliente e sustentável, evidenciando que o “business as usual” não cabe mais. A pandemia da COVID-19 restringiu as atividades sociais e econômicas, abrindo espaço para se repensar o ritmo de produção e seus impactos para o meio ambiente e para a sociedade.

 

Contudo, o atual modelo produtivo trabalha de forma linear, numa lógica de “extração, produção e desperdício”, desafiando os limites do nosso planeta. Segundo o Living Planet Report, publicado no ano passado pela WWF, seria necessário um Planeta Terra e meio para manter de forma sustentável nosso atual nível de uso de recursos, que segue crescendo de maneira cada vez mais acelerada.

 

Tendo em vista este contexto, 29 representantes, Secretárias e Secretários de Meio Ambiente de 19 Capitais do Brasil se reuniram na última quinta-feira, 09 de dezembro, para debater sobre desenvolvimento circular. O último Encontro Nacional do Fórum CB27 teve como principais pontos de debate os sistemas alimentares e os resíduos sólidos. Membros do Fórum CB27 puderam conhecer um pouco mais sobre o progresso da agenda na América Latina e as possibilidades de atuação dos governos locais na construção de um desenvolvimento circular pleno nas cidades brasileiras, referências apresentadas pela FAO Brasil e pelo ICLEI América do Sul. 

 

Os participantes puderam conhecer um pouco da visão de Rubens Herbert Aebi, Vice-Presidente Executivo da Associação Brasileira de Recuperação Energética de Resíduos, sobre a temática. Para Aebi, a geração e encaminhamento de resíduos sólidos são um problema no mundo. “Hoje, nós geramos cerca de 200 toneladas de resíduos por hora e parte disso tem ido parar nos mares e nos rios. Portanto, é preciso repensar a forma de descarte e reciclagem desses materiais, para frearmos os grandes problemas que esse consumo desenfreado causa ao Planeta.”

 

A Diretora do Instituto Comida do Amanhã, Juliana Tângari, tratou sobre padrões de produção e consumo sustentáveis e defendeu como solução a integração de pautas. “Não é possível acabar com a fome sem pensar no clima e nas demais questões. Temos que ter como objetivo desenvolver uma agricultura urbana sem fragmentar os temas relacionados, priorizando o resgate de uma cultura alimentar”, explicou.

 

O Encontro contou ainda com um compartilhamento de boas práticas em Economia Circular entre os membros do Fórum. Foi possível conhecer políticas públicas de resíduos sólidos apresentadas pelo Secretário Municipal de Meio Ambiente da Cidade do Recife, Carlos Ribeiro. O Secretário Municipal de Meio Ambiente da Cidade de Belém, Sérgio Brazão e Silva, destacou que as ilhas de Belém têm um grande potencial para o desenvolvimento da agroecologia, se forem transformadas em Unidades de Conservação. 

 

A Secretária Municipal de Sustentabilidade, Inovação e Resiliência da Cidade de Salvador, Edna França, e o Assessor Técnico da Secretaria Municipal de Meio Ambiente da Cidade de Curitiba, Felipe Maia Ehmke, apresentaram a experiência das cidades em políticas públicas voltadas para a economia circular no âmbito dos sistemas alimentares. 

 

Também participaram do encontro Cássia Helena, representando Karla Lima, Secretária Municipal de Meio Ambiente de São Luís; Luís Eduardo Costa, Secretário Municipal de Meio Ambiente e Gestão Urbana de Campo Grande; Luzimeire Carreira, representando Fábio Chaves, Presidente da Fundação Municipal de Meio Ambiente de Palmas; Ângela Molin, representando Germano Bremm, Secretário Municipal de Meio Ambiente e da Sustentabilidade de Porto Alegre; Letícia Rocha, representando Normando Sales, Secretário Municipal de Meio Ambiente, Urbanismo e Sustentabilidade de Rio Branco; Sônia Knauer, representando Mário Werneck, Secretário Municipal de Meio Ambiente de Belo Horizonte; Rodrigo Ravena, representando Eduardo de Castro, Secretário Municipal do Verde e do Meio Ambiente de São Paulo; Lucas Padilha, representando Eduardo Cavaliere, Secretário Municipal de Meio Ambiente do Rio de Janeiro; Camila Afonso, representando Alexandro Miranda Pincer, Secretário Municipal de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável de Porto Velho;  Taciany de Freitas, representando Marcelo Oliveira, Secretário Municipal de Meio Ambiente, Desenvolvimento Sustentável e Postura Urbana de Macapá; Welison Silveira, Secretário Municipal de Meio Ambiente de João Pessoa; Daniel Peixoto, Secretário Municipal de Serviços Públicos e Meio Ambiente de Boa Vista; Renivaldo do Nascimento, Secretário Municipal de Meio Ambiente e Desenvolvimento Urbano Sustentável de Cuiabá; Ana Assis, representando Luan Alves, Presidente da Agência Municipal do Meio Ambiente de Goiânia; Maria do Socorro da Silva, representando Antônio Stroski, Secretário Municipal de Meio Ambiente e Sustentabilidade de Manaus.

 

#CB27 #DesenvolvimentoCircular #ResíduosSólidos #SistemasAlimentares #MeioAmbiente